Amor de Deus é autêntico remédio para as feridas humanas, afirma Bento XVI

VATICANO, 03 Jul. 11 / 02:56 pm (ACI/EWTN Noticias) Ao presidir este meio-dia (hora local) a oração Mariana do Ângelus, o Papa Bento XVI ressaltou que o amor de Deus, o amor aos irmãos que brota Dele, é o verdadeiro remédio que cura todas as feridas humanas.

Em sua reflexão perante milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro, o Santo Padre se referiu ao Evangelho de hoje no qual São Mateus propõe as palavras do Senhor Jesus: “vinde a mim todos os que estão fatigados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para vossas almas. Porque meu jugo é suave e minha carga ligeira”.

O Papa disse que esse olhar de Cristo ainda hoje “pousa sobre tantas pessoas oprimidas por condições de vida difíceis, mas também privadas de válidos pontos de referência para encontrar um significado e uma meta para sua existência. Multidões estão oprimidas nos países mais pobres, provadas pela indigência; e até mesmo nos países mais ricos são tantos os homens e mulheres insatisfeitos, até mesmo pessoas com depressão”.

Conforme informa a nota de Rádio Vaticano, Jesus promete dar a todos “descanso”, mas estabelece uma condição: “Tomai meu jugo sobre vós e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração”. O que é este “jugo”, pergunta-se o Papa, que em vez de pesar torna-se mais leve, e ao invés de esmagar levanta? O “jugo” de Cristo é a lei do amor, é o seu mandamento, que deixou aos seus discípulos”. “.

“O verdadeiro remédio para as feridas da humanidade, sejam aquelas materiais, como a fome e as injustiças, sejam aquelas psicológicas e morais causadas por um falso bem-estar, é uma regra de vida baseada no amor fraterno, e que tem a sua fonte no amor de Deus. Por isso devemos abandonar o caminho da arrogância, da violência usada para obter posições de maior poder, para garantir o sucesso a qualquer custo”, assinalou.

Também em relação ao meio ambiente – disse ainda Bento XVI – devemos renunciar ao estilo agressivo que dominou nos últimos séculos e adotar uma razoável “mansidão”.

Mas acima de tudo nas relações humanas, interpessoais, sociais, a regra do respeito e da não-violência, ou seja, a força da verdade contra qualquer injustiça é aquela que pode garantir um futuro digno do homem, assinala a nota da Rádio Vaticano em Português.

Finalmente o Pontífice alentou a que a Virgem Maria nos ajude “a “aprender” de Jesus a verdadeira humildade, a tomar com decisão o seu jugo suave, para experimentar a paz interior e sermos capazes de consolar outros nossos irmãos e irmãs que trilham com fadiga o caminho da vida”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.