Alcoolismo

Alcoolismo_3A cada dia cresce mais o problema do alcoolismo também entre os jovens. E o álcool é mais prejudicial para o jovem do que para o adulto, uma vez que ele prejudica a sua constituição física e psicológica em formação.

O álcool afeta todos os órgãos e tecidos do corpo; o aparelho digestivo é prejudicado e o fígado pode ser destruído.

Você sabe que mais da metade dos acidentes que ocorrem nas estradas são causados por pessoas embriagadas, muitas vezes jovens que saíram de uma festa? Muitas são também as mortes de pedestres causadas por motoristas embriagados.

Muitas famílias são destruídas por causa de um pai alcoólatra; ou mesmo pelas perturbações causadas por um filho viciado na bebida.

Muitos jovens dão aquela velha desculpa: “Ah, eu só bebo socialmente, em festas, e sei me controlar”. Mas muitas vezes é aí que a pessoa pode começar a se tornar um alcoólatra. E é bem conhecido que o vício da bebida não começa na idade adulta mas na juventude.

conquista_virtudesComo todo vício, o álcool na maioria das vezes é também uma fuga para o jovem; às vezes para “afogar as mágoas” de um namoro mau sucedido; de uma reprovação na escola, de uma difícil situação familiar; de uma timidez invencível; etc. Outros bebem para liberar os impulsos e desejos reprimidos.

Qualquer que seja a sua dificuldade jovem, não aceite a fuga como solução, qualquer que seja ela, aprenda a enfrentar o problema com coragem, determinação de resolvê-lo, e muita fé e oração.

A sociedade paga um preço altíssimo pelos desastres provocados pelo álcool.

Um alcoólatra pode acabar com a sua vida e com a da sua família, mesmo que indiretamente. Não é justo fazer os outros sofrerem por causa do nosso vício. Especialmente os pais que já trabalharam tanto e que agora têm o direito de descansar, e não de carregar o fardo pesado de um filho bêbado ou drogado.

A Palavra de Deus, no Livro dos Provérbios, chama a nossa atenção para o perigo da bebida:

“Zombeteiro é o vinho e amotinadora a cerveja: quem quer que se apegue a isto não será sábio.” (Prov. 20,1)

“Ouve, meu filho: sê sábio, dirige teu coração pelo caminho reto, não te ajuntes com os bebedores de vinho, com aqueles que devoram carnes, pois o ébrio e o glutão se empobrecem e a sonolência veste-se com andrajos. (Prov. 23, 21)

jovem_levanta_teTudo o que foi dito antes sobre os que desejam se recuperar do vício das drogas, serve também para você se recuperar do alcoolismo.

Leia também: Por que o alcoolismo é pecado?

A juventude é o maior tesouro da humanidade

Como lidar com o vício do meu cônjuge?

Por que os filhos se desviam?

As Drogas

Acreditar e agir

Um viajante ia caminhando às margens de um grande lago. Seu destino era a outra margem. Suspirou profundamente enquanto tentava fixar o olhar no horizonte.

A voz de um homem coberto de idade, um barqueiro, quebrou o silêncio, oferecendo-se para transportá-lo.

O pequeno barco envelhecido, no qual a travessia seria realizada, era provido de dois remos de madeira de carvalho.

Logo seus olhos perceberam o que pareciam ser letras em cada remo. Ao colocar os pés empoeirados dentro do barco, o viajante pôde observar que se tratava de duas palavras, num deles estava entalhada a palavra ACREDITAR e no outro AGIR.

construir_homem_mundoNão podendo conter a curiosidade, o viajante perguntou a razão daqueles nomes originais dados aos remos. O barqueiro respondeu pegando o remo chamado ACREDITAR e remou com toda força. O barco, então, começou a dar voltas sem sair do lugar em que estava. Em seguida, pegou o remo AGIR e remou com todo vigor. Novamente o barco girou em sentido oposto, sem ir adiante.

Finalmente, o velho barqueiro, segurando os dois remos, remou com eles simultaneamente e o barco, impulsionado por ambos os lados, navegou através das águas do lago chegando ao seu destino. Na outra margem, o barqueiro disse ao viajante- Esse porto se chama autoconfiança. Simultaneamente, é preciso ACREDITAR e também AGIR para que possamos alcançá-lo!

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.