Aborto de meninas aumenta de maneira alarmante

OTTAWA, 18/01/2012(ACI/EWTN Noticias) A revista da Associação Médica do Canadá advertiu em seu último número que nos últimos anos esse país se converteu em “um paraíso para os pais que desejam abortar” as meninas pela predileção de alguns grupos sociais e culturais por ter apenas filhos homens como é o caso dos chineses e os hindus.

Em seu editorial, a revista assinalou que os abortos seletivos, oficialmente proibidos, impulsionaram a preferência pelo filho varão nas sociedades patriarcais de alguns países do continente asiático.

Segundo os dados do artigo, difundido pela agência EFE, a taxa natural de nascimentos entre homens e mulheres é de 1,05, o quer dizer que por cada 100 meninas nascem 105 meninos.

Do mesmo modo, a taxa de nascimentos de homens no primeiro bebê nascido de casais de imigrantes asiáticos que residem no Canadá é só ligeiramente superior a essa cifra: 1,08.

Entretanto, a publicação adverte que a cifra é alarmante quando os primeiros filhos de uma família asiática são meninas.

Neste caso, a taxa do terceiro nascimento em imigrantes da China, Coréia e Vietnam que já têm duas filhas é de 1,39. Entre os imigrantes hindus a cifra sobe a 1,90, quer dizer, quase dois meninos por cada menina nascida.

Nos Estados Unidos também advertiram para esta tendência: “O problema na América do Norte está causado por imigrantes asiáticos, principalmente da Índia e China, onde o aborto de fetos femininos é elevado”, informou a publicação.

Nesse sentido, considerou que os médicos não deveriam revelar o sexo do bebê até as 30 semanas de gravidez, como parte de um mecanismo de controle que evite o aborto das meninas.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.