A vida de São Judas Tadeu

São Judas
Tadeu era natural de Caná da Galileia, na Palestina. Sua família era
constituída do pai, Alfeu (ou Cléofas) e a mãe, Maria Cléofas. Eram parentes de
Jesus. O pai, Alfeu, era irmão de São José; a mãe, Maria Cléofas, prima irmã de
Maria Santíssima. Portanto, Judas Tadeu era primo irmão de Jesus. O irmão de
Judas Tadeu, Tiago, chamado o Menor, também foi discípulo de Jesus.

A Bíblia trata pouco de Judas Tadeu. Mas aponta o importante: Judas Tadeu foi
escolhido por Jesus, para apóstolo (Mt 10,4). É citado explicitamente nas
Escrituras pelo evangelista João (Jo 14,22). Na ceia, Judas Tadeu perguntou a
Jesus: “Mestre, por que razão hás de manifestar-te só a nós e não ao
mundo?” Jesus lhe respondeu afirmando que teriam manifestação dele todos
os que guardassem sua palavra e permanecessem fiéis a seu amor.Após ter
recebido o dom do Espírito Santo, Judas Tadeu iniciou sua pregação na Galiléia.
Passou para a Samaria e Iduméria e outras populações judaicas. Pelo ano 50,
tomou parte no primeiro Concílio, o de Jerusalém. Em seguida, foi evangelizar a
Mesopotâmia, Síria, Armênia e Pérsia. Neste país recebeu a companhia de outro
apóstolo, Simão. A pregação e o testemunho de Judas Tadeu impressionaram os
pagãos que se convertiam. Isto provocou a inveja e fúria contra o apóstolo, que
foi trucidado, a golpes de cacetes, lanças e machados. Isso, pelo ano 70. São
Judas Tadeu foi mártir, quer dizer: mostrou que sua adesão a Jesus era tal, que
testemunhou a fé com a doação da própria vida.

A brevíssima Carta de São Judas, que está na Bíblia, é uma severa advertência
contra os falsos mestres e um convite a manter a pureza da fé. Nos versículos
22-23 propõe pontos fundamentais de um programa de vida cristã: fé, oração,
auxílio mútuo, confiança na misericórdia de Jesus Cristo.

A imagem de São Judas tem o livro, que é a Palavra que ele pregou e a
machadinha, com a qual foi morto. Os restos mortais, após terem sido guardados
no Oriente Médio e na França, foram definitivamente transferidos para Roma, na
Basílica de São Pedro.

A relíquia de São Judas: A relíquia que temos é um pedaço de osso dele. O
relicário é usado para dar a bênção nos dias 28 de cada mês. A relíquia chegou
até nós em 1945 ou 1946 por meio de um padre capelão militar. Este, durante a
guerra, serviu a um convento de religiosas, na Itália. Finda a guerra, o padre
recebeu de presente, das Irmãs, a relíquia de São Judas, que foi posteriormente
doada ao Santuário São Judas Tadeu. Junto, um documento garantindo a
autenticidade da relíquia.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.