A verdadeira discriminação é contra as mães

Constanza Miriano feliz de ser esposa e mãe

ROMA, terça-feira 28 de fevereiro de 2012 (ZENIT.org) – “A verdadeira discriminação não é contra as mulheres, mas contra as mães. Hoje as mulheres conseguem crescer nos postos de trabalho, mas são penalizadas e discriminadas quando pedem tempo e espaço para estar do lado dos bebês”.

Foi o que disse Constanza Miriano, durante um encontro realizado sexta-feira 24 de fevereiro na Paróquia Regina em Monteverde Vecchio, em Roma.

Como apresentação escreveu no seu blog http://costanzamiriano.wordpress.com/about/ “Costanza Miriano nasceu em Perugia há 41 anos e vive em Roma. Esposa e mãe de quatro seres que de forma otimista e descuidada definiria crianças, duas de raça masculina e duas femininas, certa vez foi graduada em Literatura Clássica, mas atualmente estuda os quadros negros”.

“Aspirante dona de casa, é hoje jornalista da RAI, tg3 nacional. É católica fervorosa, e, convencida de que só se chega ao céu por recomendação, busca sempre os principais canais para chegar ao Chefe Supremo. Viu que a missa e o terço é o que melhor funcionam”.

“Não há muito mais a acrescentar ao seu currículo, exceto que correu diversas maratonas, que depois foi útil para gerenciar uma grande família. “Case e seja submissa” é seu primeiro livro”

Em uma sala cheia de pessoas, Constanza Miriano explicou as razões e os conteúdos do seu escrito: “Se casar seja submissa – Prática extrema para mulheres sem medo”, publicado pela Vallecchi.

Este é um livro que está criando grandes discussões em redações e gerações, admirado e criticado por jornalistas que cobrem a cultura. Foi muito vendido, 20.000 exemplares já esgotados, um número que para a autora do seu primeiro livro é um sucesso absoluto.

A tese é altamente controversa. Relendo a carta aos Efésios de São Paulo, Miriano tenta explicar aquele “Esposas sejam submissas aos seus maridos”, de uma forma leve, irônica, inteligente. Com tons graciosos e femininos, mas com identidade e valores fortes.

Usando a forma literária de ‘cartas para suas amigas”, a autora usa histórias reais para contar a idéia cristã de ser uma feliz mulher, esposa e mãe.

São as mulheres que falam, mas o objetivo do livro é o de desafiar o homem a voltar para si, renovando as suas responsabilidades de homem e de chefe da família.

Disse Miriano, que a melhor maneira de convencer o marido a desempenhar um papel integral como pai e marido é o de confiar nele, de mostrar o lado mais sábio, paciente e submisso da mulher.

Quando a mulher faz isso, o homem não resiste. “E não é uma tática hipócrita – disse Miriano – mas a bela natureza do gênio feminino”.

“Só redescobrindo a verdadeira natureza de homens e de mulheres, os filhos vão compreender e amarão a família e a procriação”, acrescentou Miriano.

A parte mais engraçada da noite foi quando se aproximaram diversos maridos de mulheres que tinham lido o livro da Miriano, todos felizmente reconciliados e contentes de poder viver com mulheres confiadas e colaboradoras.

*

É possível comprar o livro clicando nesse link:

http://www.amazon.it/s/ref=nb_sb_noss?__mk_it_IT=%C5M%C5Z%D5%D1&url=search-alias%3Daps&field-keywords=Sposati+e+sii+sottomessa&x=0&y=0&tag=zenilmonvisda-21

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.