A Palavra de Deus na vida e missão da Igreja

No mês de agosto, tratamos das vocações à vida cristã: Sacerdócio, Família, Vida consagrada e Catequistas (Leigos e Leigas). No mês de setem-bro, mês da Bíblia, tratamos da Palavra de Deus como fundamento da Igreja, das Vocações e de nossa Oração.

I. A BÍBLIA, FUNDAMENTO DA IGREJA E DA VIDA CRISTÃ – De-senvolvemos o tema a partir da Exortação Apostólica “VERBUM DOMINI”, do Papa Bento XVI, dirigida ao Episcopado, ao Clero, às Pessoas Consagradas e aos fiéis Leigos sobre a Palavra de Deus na Vida e na Missão da Igreja. A Exortação expõe os conteúdos principais da XII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo sobre o coração da vida cristã: a Palavra de Deus.

O Santo Padre explicita: “A Igreja funda-se sobre a Palavra de Deus, nasce e vive dela. No Concílio Vaticano II, a Dei Verbum deu grande impulso à redescoberta da Palavra de Deus na vida da Igreja, à reflexão teológica sobre a Revelação divina e ao estudo da Sagrada Escritura. E descreve um detalhe no Sínodo; “Na XII Assembleia sinodal, Pastores vindos de todo o mundo congre-garam-se ao redor da Palavra de Deus, colocando simbolicamente no centro da Assembleia o texto da Bíblia, para redescobrirem algo que nos arriscamos  a dar por adquirido no dia-a-dia: o fato de que Deus nos fale e responda às nossas perguntas”. E acrescenta: “Isto significa que quanto mais aprofundarmos nossa relação com o Senhor Jesus, tanto mais nos damos conta que Ele nos chama à santidade, através de opções definitivas, pelas quais a nossa vida responde ao seu amor, assumindo funções e ministérios para edificar a Igreja (VD, 77).

II. A BÍBLIA NA BASE DAS VOCAÇÕES:

a) – Palavra de Deus e Ministros ordenados e candidatos às ordens sacras – “Dirigindo-me em primeiro lugar aos Ministros Ordenado da Igreja, recordo-lhes o que afirmou o Sínodo: a Palavra de Deus é indispensável para formar o coração de um bom pastor, ministro da Palavra. Bispos, presbíteros, diáconos e candidatos às ordens sacras não podem de forma alguma pensar em viver a sua vocação e missão sem um decidido e renovado compromisso de santificação, que tem um de seus pilares no contacto com a Bíblia” (VD, 78). particularmente na lectio divina.

b) – Palavra de Deus, matrimônio e família – “Com o anúncio da Palavra de Deus, a Igreja revela á família cristã a sua verdadeira identidade, o que ela é e o que deve ser segundo o desígnio de Deus. A Palavra de Deus está na origem do matrimônio. Na celebração sacramental, o homem e a mulher pronunciam uma palavra profética de doação recíproca: ser uma só carne, sinal de união de Cristo e da Igreja. Deriva deste mistério nupcial a responsabilidade dos pais em relação a seus filhos: a comunicação e o testemunho da vida em Cristo. Cada casa tenha a sua Bíblia e a conserve em lugar digno para poder lê-la e utilizá-la na oração (VD, 85).

c) – Palavra de Deus e vida consagrada – “Esta nasce da escuta da Palavra de Deus e acolhe o Evangelho como norma de vida. Dela brotou cada um dos carismas e respectivas Regras. A grande tradição monástica teve como fator constitutivo da própria espiritualidade a meditação da Sagrada Escritura, particularmente na forma de lectio divina” (VD, 83).

d) – Palavra de Deus e fiéis leigos – Os fiéis leigos difundem o Evangelho no trabalho, na escola, na educação e na sua inserção nas realidades temporais e participação nas atividades terrenas. Precisam ser formados a discernir a vontade de Deus por meio de uma familiaridade com a Palavra de Deus, lida e estudada na Igreja, sob a guia dos legítimos pastores (VD, 84).

III. A BÍBLIA FUNDAMENTA NOSSA ORAÇÃO:

a) – A Leitura orante da Palavra de Deus:
O Documento do Concílio Vaticano II Dei Verbum recomenda que todos os fiéis “debrucem-se gostosamente sobre o texto sagrado, que através da Sagrada Liturgia, rica de palavras divinas, quer pela leitura espiri-tual, quer por outros meios que se vão espalhando tão louvavelmente por toda a parte, com a aprovação e o estímulo dos  pastores da Igreja. Lembrem-se, porém, que a leitura da Sagrada Escritura deve ser acompanhada de oração” (DV, 25). “O lugar privilegiado para a leitura orante da Bíblia é a Liturgia, parti-cularmente a Eucaristia, na qual, ao celebrar o Corpo e o Sangue de Cristo no Sacramento, se atualiza no meio de nós a própria PALAVRA, que é Jesus (VD, 86)

b) – A Lectio divina – A Lectio divina ” é verdadeiramente capaz não só de desvendar ao fiel o tesouro da Palavra de Deus, mas também de criar o en-contro com Cristo, Palavra divina viva”.

Os três passos fundamentais da Lectio Divina são:

1. Lectio (Leitura): O que diz o texto? Começa-se sempre com a leitura atenta;
2. Meditatio (Meditação): O que nos diz o texto? Trata-se de palavras pronunciadas no presente e não apenas no passado;
3. Oratio (Oração): o que dizemos ao Senhor em resposta à sua Palavra.

Há ainda outro momento da Lectio Divina, chamado:

Contemplatio (Contemplação) – Neste momento, assumimos como dom de Deus o seu próprio olhar, ao julgar a realidade, e interrogamo-nos: qual é a conversão da mente, do coração e da vida que o Senhor nos pede? “Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação de vossa mente, a fim de conhecerdes a vontade de Deus: o que é bom, o que Lhe é agradável e o que é perfeito”, afirma o Apóstolo (Rm, 12,2).

Terminamos contemplando a Mãe de Jesus. Maria sintetiza todos os momentos da oração e das escolhas na vida. Ela “conservava todas estas coisas, ponderando-as no seu coração” (Lc 2,19) e sabia encontrar o nexo profundo que une os acontecimentos, os atos e as realidades, aparente-mente desconexos, no grande desígnio divino. Nossa Senhora do Monte Serrat nos abençoe e proteja!

Dom Jacyr Francisco Braido
Bispo de Santos (SP)

Fonte: http://www.cnbb.org.br/site/articulistas/dom-jacyr-francisco-braido/10189-a-palavra-de-deus-na-vida-e-missao-da-igreja

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.