A Mulher eterna – EB

Revista: “PERGUNTE E
RESPONDEREMOS”

D. Estevão Bettencourt, osb

Nº 491 – Ano 2003 – p.
193

 O texto de Ap 12, 1-17
apresenta uma mulher misteriosa, pois tem muitas faces: é gloriosa e dolorida,
é Mãe do Messias e Mãe de muitos filhos; perseguida é abrigada por Deus durante
mil duzentos e sessenta dias (…)

Quem será tal mulher?

– A melhor exegese responde
que não é uma determinada mulher, mas é a Mulher como tal, enquanto lhe toca
participar do plano de salvação da humanidade. Com efeito, ela perpassa toda a
história da salvação na qualidade de Mãe. Assim a mulher de Ap 12, 1-17 é

– antes do mais, a primeira
mulher, chamada profeticamente EVA; ou seja, Mãe dos vivos; cf. Gn 3, 20. Ela
enfrentará a Serpente maligna e seu descendente esmagará a cabeça desta (cf. Gn
3, 15).

– É, logo a seguir, a FILHA
DE SION ou a Matriz do Messias; o povo de Israel trazia em seu bojo o próprio
Messias; cf. Sf 3, 14. O povo-mãe do Messias é também dito “esposa de Javé”;
cf. Is 54, 4-9,… esposa amada com amor eterno (ver Jr 31, 3; Sf 3, 17).

– A Mulher chega ao auge da
sua grandeza na figura de MARIA SANTÍSSIMA; que é, por excelência, a Mãe do
Vivo e a mais bendita entre todas as mulheres, aquela que todas as gerações
chamam “bem aventurada” (cf. Lc 1, 48).

– A mulher continua a
exercer seu papel maternal na SANTA MÃE IGREJA, da qual nascem pelo Batismo os
cristãos. Todo fiel católico vê na Igreja mais do que uma instituição burocrática;
ele a ama como filho, ele sente com a Igreja, participando das suas dores e
alegrias; as grandes intenções da Igreja são também as suas intenções.

– Finalmente o desempenho da
mulher do Apocalipse se consuma na JESURALÉM CELESTE, apresentada como Esposa
do Cordeiro; cf. Ap 21, 2.

Este breve percurso da
história da salvação evidencia que a Mulher está presente a cada fase da história
na sua função mais típica e bela, que é a de Mãe. Deus que se fez homem, quis
recorrer à mulher como colaboradora (não dizemos “Co-redentora”) muito próxima
do Salvador. O nome “Eva” é um nome que faz parte de cada etapa do plano de
Deus. Esboçado na primeira mulher, ele é plenamente realizado na segunda Eva ou
na Virgem-Mãe, a mais digna das criaturas depois da santíssima humanidade de
Cristo.

A ela o mês de maio é
dedicado pela piedade católica, em 2003 com a intenção especial de pedir-lhe
obtenha paz e harmonia para seus filhos na terra. Continue Ela a interpelar seu
Divino Filho como outrora em Caná da Galileia dizendo-Lhe: “Eles não têm amor
fraterno, eles não se sentem família”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.