“A Lei divina é fonte de vida, de liberdade e de felicidade”, afirma o Papa na audiência geral

Conforme Bento XVI, Lei de Deus é o dom da graça que torna as pessoas livres

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 09-11-2011, Gaudium Press) “A Lei divina não é um jugo pesado de escravidão, mas dom de graça que torna livres e leva à felicidade”, afirmou hoje de manhã o Santo Padre na audiência geral dedicada ao Salmo 118. Hoje, na presença de 9 mil fiéis na Praça São Pedro, Bento XVI falou sobre o papel da Lei divina que se exprime na sua Palavra.

O Papa fez uma reflexão sobre a “Palavra de Deus que interpela o homem e provoca nele a resposta de obediência confiante e de amor generoso. De uma resposta que, de fato, responde ao amor de Deus”. Conforme o pontífice, na Palavra de Deus o homem encontra, como observa o Salmista, “todo o vocabulário da relação confiante do crente com Deus: o consolo, a meditação, mas também motivos de louvor, agradecimento, confiança e a súplica e o lamento”.

O Santo Padre lembrou também que foi a Virgem Maria quem realmente respondeu à Palavra de Deus. “O próprio Jesus”, continuou Bento XVI, “testemunha quando, à mulher que havia gritado ‘Feliz o ventre que te trouxe’, responde: ‘Felizes, sobretudo, são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática!’ (Lc 11,27-28). Certo, Maria é feliz porque o seu ventre trouxe o Salvador, mas sobretudo porque escutou o anúncio de Deus, porque foi atenta e amorosa guardiã da sua Palavra”.

Ainda sobre a Lei de Deus, o pontífice afirmou que ela é “fonte de vida e o desejo de compreendê-la, de observá-la, de dirigir a esta todo o próprio ser é a característica do homem justo e fiel ao Senhor, que a medita dia e noite”. Bento XVI ressaltou ainda que “o cumprimento da Lei é seguir Jesus, ir pelo caminho de Jesus, em companhia de Jesus”.

Conforme o Santo Padre, o chamado para viver “somente do Senhor e da sua Palavra” é antes de tudo dirigido aos sacerdotes. O Papa recordou “que somente Jesus para eles é a única segurança, bem e fonte de vida verdadeira” e desejou que também os fiéis nas palavras do Salmo “possam encontrar o chamado à radicalidade do Evangelho, e serem testemunhas da vida trazida pelo Cristo através do viver na comunhão e na alegria”.

Ao fim da audiência o pontífice recebeu um grupo de Natz-Schabs, uma pequena cidade da Província de Bolzano, na Itália, onde sua bisavó e avó nasceram.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.