A experiência de Deus vivo, resposta à «necrose» do secularismo ( I )

Entrevista com Matteo Calisi, presidente da Fraternidade Católica
Carismática de Aliança

BARI, domingo, 24 de outubro de 2004 (ZENIT.org).-
A experiência do poder do Espírito Santo, que leva a proclamar que Deus está
vivo, é resposta ao difundido secularismo e impulso à nova evangelização, à
santidade de vida e à reconstrução dos cristãos em uma só Igreja.

Disso pode dar testemunho a Renovação Carismática, uma corrente de graça que
tocou transversalmente as Igrejas cristãs históricas
(católica-protestante-ortodoxa) e que inclui cerca de 600 milhões de cristãos
–dos quais ao redor de 120 milhões são católicos– em todo o mundo.

Uma das expressões «carismáticas» na Igreja Católica é a «Catholic Fraternity
of Charismatic Covenant Communities and Fellowships» –«Fraternidade Católica
das Comunidades e Associações Carismáticas de Aliança» –(www.catholicfraternity.net)–,
organismo internacional de Direito Pontifício que reúne mais de quinhentas
comunidades históricas da Renovação Carismática Católica dos cinco continentes,
tais como a «Comunidade das Bem-aventuranças», a «Comunidade Emanuel» de Paris
ou a «Comunidade de Jesus» em Bari.

Nas vésperas de seu XI Congresso Internacional (Fiuggi, 29 de outubro a 1º de
novembro), o presidente da Fraternidade Católica e colaborador do Conselho
Pontifício para os Leigos, Matteo Calisi –pai de família– explica nesta
entrevista concedida a ZENIT a «novidade» que representam os «carismáticos» na
Igreja e no mundo, assim como a missão dos Movimentos Eclesiais e Novas
Comunidades no contexto atual.

–Que é a «Catholic Fraternity» e qual é sua missão na Igreja?

–Matteo Calisi: A Catholic Fraternity of Charismatic Covenant Communities and
Fellowship é o primeiro Organismo Internacional –com sede em Bari e erigido
pelo Conselho Pontifício para os Leigos– que federa as comunidades principais
e históricas da Renovação Carismática Católica (RCC). Com o reconhecimento
pontifício, em 30 de novembro e l990, a Catholic Fraternity foi erigida
canonicamente em Associação Privada Internacional de Direito Pontifício de
Fiéis da Igreja Católica, com personalidade jurídica eclesiástica.

A Santa Sé, no Decreto de reconhecimento, expressou seu desejo de que a
Catholic Fraternity pudesse contribuir a consolidar a expressão católica do
movimento carismático. Portanto, a Catholic Fraternity não tem funções de
governo ou de responsabilidade jurídica sobre as Comunidades membros, tem só
uma responsabilidade moral e espiritual: a de animar o desenvolvimento das
Comunidades membro em suas dimensões eclesial e católica.

Desta forma, cada Comunidade mantém a própria identidade e autonomia jurídica e
de governo e um arraigo substancial na Igreja particular, mas, ao mesmo tempo,
é membro de uma Federação Universal de Direito Pontifício de Fiéis.

O Santo Padre João Paulo II, falando à Catholic Fraternity em vários Encontros
Internacionais, sublinhou o papel fundamental da Catholic Fraternity dentro da
Renovação Carismática Católica.

«No seio da Renovação Carismática, a Catholic Fraternity tem uma missão
particular, reconhecida pela Santa Sé. Um dos objetivos definidos por vossos
Estatutos é o de salvaguardar a identidade católica das comunidades
carismáticas e animá-las a manter um estreito vínculo com os Bispos e o Romano
Pontífice. Ajudar as pessoas a ter um forte sentido de pertença à Igreja»
(Mensagem autógrafa, Cidade do Vaticano, 1º de junho de 1998).

–A Renovação Carismática Católica está difundida no mundo entre cerca de
120 milhões de católicos. Como se faz hoje a experiência do Espírito Santo?

–Matteo Calisi: Deus não habita em templos de pedra, mas antes de tudo no
coração dos fiéis, no qual derramou a potência do Espírito Santo com seus dons
carismáticos, dos quais o maior é o amor, como diz São Paulo (1 Cor 13). Ao
mundo moderno, que declara a morte de Deus e tem um processo de necrose chamado
«secularismo», os carismáticos querem proclamar que Deus está vivo, porque seus
fiéis vivem nEle, que mora e obra fortemente neles por meio do Espírito Santo.

Em nossos dias recebemos esta maneira nova e singular de experimentar o poder
do Espírito Santo operante nos fiéis, que se chama Batismo no Espírito Santo e
a oração carismática.

A Renovação Carismática é um testemunho eloqüente, como afirmou em várias
ocasiões o Santo Padre João Paulo II, da presença do Espírito Santo no coração
dos fiéis, que são seu tempo. Os carismáticos não trazem «novidades», mas são
novidade eles mesmos porque ajudam a Igreja a redescobrir, através da tomada de
consciência da poderosa ação do espírito Santo na vida de cada um e da Igreja,
a maravilha dos dons e carismas se são dados a cada um e a todos para a
construção da comunidade de crentes, a fim de que a Igreja, esposa de Cristo,
seja cada vez mais bela e mais digna de seu esposo e Senhor. Trata-se de uma
corrente de graça que tocou transversalmente as Igrejas cristãs históricas
(católica-protestante-ortodoxa) e que inclui cerca de 600 milhões de cristãos
–dos quais ao redor de 120 milhões são católicos– em todo o mundo. É o
movimento mais extenso da história do cristianismo, infelizmente tão pouco
estudado pelos especialistas!

A RCC tem difusão entre os mais diversos ambientes da Igreja e do mundo e
assume diferentes expressões e formas de apostolado, como Grupos de Oração,
Comunidades de Aliança, Comunidades de vida com leigos e/ou clérigos e/ou
consagrados, Comunidades e Associações Ecumênicas, Congregações Religiosas e
Monásticas, Universais, etc. A variedade destas expressões carismáticas
constitui uma verdadeira riqueza para a Igreja Católica.

A Renovação Carismática Católica, portanto, não se apresenta como um movimento
eclesial «hierarquicamente estruturado», como alguns pensam; mas no respeito
dos diferentes carismas, cada expressão carismática diferente poderá contribuir
na edificação da única Igreja de Cristo (Cf. 1 Cor 12, 406 e 1 Cor 12, 12).

Cada uma destas realidades compartilha em seu interior as graças específicas da
Renovação Carismática Católica –como o Batismo no Espírito e o exercício dos
dons carismáticos– e mantém laços de amizade e às vezes de colaboração com as
outras. Estas são legitimamente autônomas por carismas específicos e de
fundação. Cada realidade ou expressão da Renovação Carismática Católica atua
segundo o direito-liberdade de Associações de Fiéis ratificado pelo Legislador
da Igreja e derivado do Sacramento do Batismo, sob a autoridade e vigilância da
Autoridade local ou da Santa Sé segundo o Direito próprio.

–Quais são os objetivos das Conferências Internacionais que a «Catholic
Fraternity» promove? Quem participa destes eventos?

–Matteo Calisi: A XI Conferência Internacional da Catholic Fraternity terá por
objetivo testemunhar a «Comunhão e a Missão no Terceiro Milênio» à luz do
recente Magistério do Santo Padre João Paulo II e aprofundar nos laços
espirituais e pastorais com o Conselho Pontifício para os Leigos, sendo este o
dicastério encarregado do apostolado dos leigos na Igreja Católica.

No encontro participarão mais de 1000 representantes e Moderadores Gerais das
Comunidades Membro da Catholic Fraternity de todos os continentes, junto a
bispos e um cardeal procedente de cada um destes países: Brasil, França,
México, Itália, Cidade do Vaticano e Albânia.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.