A Bíblia das Testemunhas de Jeová – EB (Parte 2)

A TNM propõe:

“Todas as coisas vieram à existência por meio dele, e à parte dele nem mesmo uma só coisa veio à existência”.

A TNM evita a palavra “criar”; por isto não há o acréscimo “todas as [outras] coisas”. Contribuir para que “venham à existência” é menos forte do que criar. Eis por que não se fez o enxerto, que enfatizaria ser Jesus a primeira criatura.

1.3. Mateus 4, 1-3

Em Mt 4,1-3 a TNM reza:

“Jesus foi então conduzido pelo espírito ao ermo, para ser tentado pelo Diabo… Veio também o Tentador e disse-Ihe:” Se tu és filho de Deus, dize a estas pedras que se transformem em pães “.

Note-se que o espírito (a terceira Pessoa da SS. Trindade) é apresentado com e minúsculo, o filho de Deus com f minúsculo, ao passo que o Diabo e o Tentador com D e T maiúsculo.Parece que mais honra merece o Diabo e Tentador do que o Espírito Santo e o Filho de Deus.

1.4. Tito 2,13; 2 Pedro 1,1

1. Nas traduções protestantes e católicas lê-se em Tt 2,13:

“Aguardemos (…)  a manifestação da glória do nosso Grande Deus e Salvador Cristo Jesus”.

Visto que este texto, bem traduzido como está, professa a Divindade de Jesus Cristo, as TJs acrescentam-Ihe uma partícula que dissipa a afirmação:

“Aguardamos a gloriosa manifestação do grande Deus e [do] Salvador de nós, Jesus Cristo”.
Assim o “grande Deus” não é Jesus Cristo. 0 texto das TJs professa haver o Grande Deus (Jeová) e o Salvador Jesus Cristo. Tal distinção destinção quanto se lê em outros textos da TNM, que se referem à manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo. Assim:

2Tm 1,10 (TNM): “Agora se tornou claramente evidente pela Manifestação de nosso Salvador, Jesus Cristo, que aboliu a morte, mas lançou luz sobre a vida e a incorrupção por intermédio das boas novas”.

1Tm 6,4 (TNM): “Para que observes o mandamento dum modo imaculado e irrepreensível, até a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo”.

2Tm 4,8 (TNM): “Doravante me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará como recompensa naquele dia, contudo não somente a mim, mas também a todos os que amaram a sua manifestação”.

2Ts 2,8 (TNM): “Então, deveras, será revelado aquele que é contra a lei, a quem o Senhor Jesus Cristo eliminará com o espírito de sua boca e reduzirá a nada pela manifestação de sua presença’.

Vê-se que o Apóstolo não atribui uma manifestação (epipháneia) própria a Jeová, mas, ao falar de manifestações (epháneìa),associa-as sempre a Jesus Cristo, que em Tt 2, 13 é dito “o Grande Deus e Salvador’.

2. Algo se semelhante se dá em 2Pd 1,1.

2Pd 1,1 (nas clássicas traduções): “Simão Pedro, o e apóstolo de Jesus Cristo, aos que receberam, pela justiça de nosso Deus e Salvador Jesus Cristo, uma fé de valor igual à nossa”.

As Testemunhas assim traduzem 2Pd t,t:

“Simão Pedro, escravo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que obtiveram uma fé tida por igual privilégio como a nossa, pela justiça de nosso Deus e do Salvador Jesus Cristo”.

Mais uma vez Deus e Jesus Cristo são considerados como distintos um do outro.

Todavia na epístola a Tito (TNM) se lê:

1,3: “Nosso Salvador, Deus”

1,4: “Cristo Jesus, nosso Salvador’

2,10: “Nosso Salvador, Deus”

3,6: “Jesus Cristo, nosso Salvador”.

Donde se vê que o Salvador é tido como Deus e como Jesus Cristo no próprio texto das TJs.

1.6. Hebreus 1,6

Assim se lê nas clássicas traduções:

“Ao introduzir o Primogênito no mundo, diz novamente: ‘Adorem-no todos os anjos de Deus'”.

A tradução do Novo Mundo, porém, propõe:

“Ao trazer novamente o seu primogênito à terra habitada, ele diz: ‘E todos os anjos de Deus Ihe prestem homenagem'”.

Evita-se a palavra adorar, que significa a reverência devida a Deus só. Como Jesus Cristo é tido qual criatura, as TJs Ihe atribuem homenagem, e não adoração.

Todavia o Verbo grego proskynéo, traduzido por “prestar homenagem” em Hb 1,6, é traduzido por adorar na TNM, se dirigido a Jeová e não a Jesus Cristo. Assim em

Mt 4,10: “Vai-te, Satanás, porque está escrito: ‘Ao Senhor (Jeová) teu Deus adorarás e só a ele servirás'”.

Ap 22,9: “Adora a Deus”.

Quando o verbo se dirige a Jesus Cristo, é traduzido por “prestar homenagem”:

Mt 2,2: Os magos disseram a Herodes: “Viemos prestar-Ihe homenagem (proskynein)”.

Mt 28,17: Quando os apóstolos viram Jesus, prestaram-Ihe homenagem (prosekynesan).”

É, porém, digno de atenção o fato de que a TNM editada em 1967 (anteriormente à versão revisada em 1977) dizia:

“Ao trazer novamente o seu primogênito à terra habitada, ele diz: dos os anjos de Deus o adorem'”.

Em 1977 tal versão foi trocada pela atual, onde se lê “prestem homenagem”.

Aliás, a Bíblia das Testemunhas de Jeová tem história complexa. Foi lançada em seis volumes, pela primeira vez, entre 1950 e 1960. Em 1963 publicada uma nova tradução do Novo Testamento apenas. Em 1967,saiu a Bíblia inteira em tradução portuguesa revista. Em 1977 nova edição revisada foi dada ao público. Em 1986 outra edição revista veio a lume. Donde se vê quão instável é o corpo doutrinário das TJs.

1.7. Cruz = Estaca de Tortura

As TJs não usam a palavra Cruz, pois Ihes lembra um símbolo que eles têm como pagão. Por isto, sempre que staurós ocorre no texto grego, ao invés de verter, como classicamente se faz, por cruz, usam o vocábulo taca. Para tanto alegam que o termo staurós originariamente designava poste ou uma estaca reta ou um pedaço de ripa em que algo podia ser pendurado. Todavia não levam em conta que já antes de Cristo essa estaca era acrescida de uma trave horizontal, donde pendiam os supliciados; os romanos fizeram chegar à Palestina nos tempos de Alexandre Janeu (67 a.C.), rei de Judá, impregnado de cultura helenística, o uso de cruz como instrumento de condenação.

Mais: já que estaca é palavra um tanto genérica, a TNM acrescenta-Ihe aposto de tortura. Donde se lê em

Mt 27,40: “Se tu és filho de Deus, desce da estaca de tortura”.

GI 5,14: “Que nunca ocorra que eu me jacte, exceto da estaca de torra de nosso Senhor Jesus Cristo”.

CI 1,20: “Reconciliar novamente todas as (outras) coisas consigo mesmo… por intermédio do sangue que ele derramou na estaca de tortura”.

Realmente é preciso ser muito avesso aos usos cristãos para sustentar tal e tais outras traduções.

Outros casos se poderiam ainda aduzir para evidenciar as peculiaridades anômalas da TNM. É de crer, porém, que o que foi até apresentando é suficientemente eloquente.

3. Concluindo…

Ao TJs jugam ter descoberto o Cristianismo no século passado mediante Charles Russell. Afastando-se de toda a tradição cristã, leem a Bíblia sem referência à Tradição oral, comparando texto com texto – o que dá margem a arbitrariedades, como tem sucedido nos decênios da existência das TJs. É de crer que novas alterações na Bíblia e na mensagem das TJs ocorram. O fato é que tal denominação já não é cristã, pois nega a SS. Trindade e a Divindade de Jesus Cristo. Aliás, as denominações protestantes recentes, cedendo cada vez mais ao subjetivismo, se perdem em teorias esdrúxulas, sempre mais distantes das fontes do Cristianismo, por mais que Ihes queiram ser fiéis. A Bíblia, desarraigada da Palavra oral, que a berçou e acompanha, pode ser distorcida em várias direções, sem que os leitores tenham critérios para julgar tais aberrações. O recurso à Tradição oral ilumina autenticamente o sentido das Escrituras Sagradas.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.