10/2 – Santa Escolástica

Sobre a vida da irmã de São Bento, a única fonte histórica são os capítulos 33 e 34 do segundo livro dos “Diálogos de São Gregório Magno”. As lendas populares pouco acrescentaram à vida simples da santa. São Gregório Magno estava mais interessado na vida do pai do monaquismo ocidental. Parece que a data do nascimento coincide: 480. Conclui-se que eram gêmeos. Foram muito parecidos em vida e morreram no mesmo ano, com diferença de 40 dias. Escolástica desde jovem se consagrou a Deus e seguiu o irmão ao Subiaco e depois a Cassino, onde estabeleceu o seu mosteiro ao pé de uma montanha. Estavam bastante próximos, mas Bento descia uma vez por ano para ver a irmã. Escolástica queria prolongar o colóquio, mas o irmão era rigoroso na observância da Regra. No último encontro, na quaresma de 547, Deus quis mostrar aos santos irmãos que preferia o amor ao rigor da observância. Refere-nos São Gregório que Escolástica insistiu para o irmão ficar a noite toda para tratarem de assuntos celestiais.

O Santo repreendeu-a severamente, pois ele transgrediria a Regra se ficasse. Escolástica juntou as mãos e orou intensamente. Logo desabou uma violenta e prolongada tempestade. Bento teve de ficar, mas culpou a irmã. Ela disse: “Pedi a você e você não me ouviu; pedi ao Senhor e ele me ouviu. Vá embora, se puder, volte ao seu mosteiro”. No lugar do prodígio edificaram a igreja do colóquio. Em memória desse episódio, santa Escolástica é invocada contra os raios e também para obter a chuva. Três dias após, são Bento teve uma visão enquanto orava, pela qual entendeu que Escolástica havia morrido. Depois de quarenta dias apenas, São Bento seguiu-a na paz celestial.

Outros Santos do mesmo dia: São Soteres, São Trunvino, São Austreberta, São Guilherme de Mateval, Beato Hugo de Fosses, Beata Clara de Rimini, Beata Luis Stepinac, Beata Eusébia Palomino, Beato José Sanches Del Rio e Beato Pedro Fremont e 5 companheiros.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.